Tontura e Zumbido

tonturaZumbidoInvestigação do zumbido

É importante lembrarmos que um mesmo indivíduo pode ter zumbido por um conjunto de causas. Além disso, cada paciente é diferente do outro, com suas particularidades, doenças associadas, estilo de vida, alimentação e genética. Portanto, desvendar os “bastidores” de cada paciente com zumbido torna-se fundamental. A escolha do tratamento depende exclusivamente destes diagnósticos encontrados em cada paciente.

Assim, um histórico médico e exame físico detalhados são essenciais, onde serão investigados os diversos aspectos de cada indivíduo, com o objetivo de esclarecer: as características do zumbido (tempo de aparecimento, tipo, localização); os fatores predisponentes; sintomas associados (perda auditiva, tontura, sensação de ouvido cheio, oscilação da audição, sensibilidade aumentada a sons, ansiedade, depressão); antecedentes do paciente (p.ex. profissão, exposição a ruído, medicações, doenças concomitantes, cirurgias, bruxismo, problemas na coluna cervical, dores de cabeça, entre vários outros itens); hábitos e estilo de vida (abuso de cafeína, consumo de doces, dieta inadequada) e antecedentes familiares (p.ex. diabetes, surdez, labirintite, etc.).

A investigação prossegue com a solicitação dos exames complementares:

a) avaliação do sistema auditivo:

O médico otorrinolaringologista irá solicitar, inicialmente, exames como audiometria e imitanciometria com pesquisa dos reflexos estapedianos. Estes exames são fundamentais na avaliação da audição e podem fornecer pistas importantes para determinar a origem de cada zumbido. Recentemente, os otorrinolaringologistas especializados em zumbido, lançam mão de um teste específico para identificar o zumbido, medindo a sua intensidade e suas características (acufenometria e limiar mínimo de mascaramento). Este dado poderá ser útil para a decisão do tratamento a ser adotado, assim como para o seu acompanhamento. Em determinados casos, outros exames podem ser necessários para identificar uma sensibilidade aumentada a sons (limiar de desconforto) ou um teste mais amplo para a análise da audição nas freqüências mais altas (audiometria de altas freqüências).